Connect with us

portal Condeúba

Bahia

Sudoeste baiano: Mãe doa medula óssea para salvar o próprio filho

O garotinho Joaquim Espiridião Almeida Rodrigues, de 10 anos, natural de Érico Cardoso, desde 2011 foi diagnosticado com Leucemia Linfóide Aguda. Os pais de Esperidião á época foram informados pela equipe médica da necessidade de um transplante. De posse dessa informação eles iniciaram uma campanha para encontrar um doador compatível e usaram as redes sociais para divulgação da campanha denominada “Todos por uma Medula”.

Conforme informações, os primeiros testes de compatibilidade genética para se realizar um transplante de medula óssea se faz entre família (mãe, pai e irmãos), pois são os que tem a maior chance de serem compatíveis, mas, no caso de Joaquim a compatibilidade entre a família não foi 100%, tornando assim necessário recorrer ao banco de dados do REDOME – Registro Nacional de Medula Óssea.
Após divulgação da campanha nas redes sociais vários doadores se cadastraram no sistema REDOME. Enquanto isto Joaquim travava uma batalha pela vida em um tratamento para preparação no momento em que fosse encontrado o doador compatível para a realização do transplante e o organismo do pequeno Joaquim aceitasse a medula. Foram várias sessões de quimioterapias e internações até que, chegou-se em um estágio onde o transplante já poderia realmente acontecer.
Dado a urgência do caso os médicos realizaram vários procedimentos e constataram que o paciente poderia ter como doadora a própria mãe uma vez que entre os testes realizados com os familiares as melhores reações propícias para um transplante de medula óssea seria da própria genitora em virtude dos bons resultados nos diversos testes. Em fim, para alegria de todos, o transplante de medula óssea do Joaquim aconteceu ontem (05), no “Hospital do Amor”, antes conhecido como “Hospital do Câncer de Barretos”, tendo como doadora a sua mãe Katiele Amaral.
Em entrevista concedida ao Site Livramento Manchete, a mãe do menino diz que “embora o filho esteja bem, agora vem a parte da recuperação que dura em média de 15 a 21 dias, com um prazo máximo de 28 dias. Esse é o prazo para sabermos se a Medula pegou. Sabermos que o transplante deu certo e que o organismo do Joaquim está se dando bem com a nova medula”, ressaltou. Os familiares agradecem a solidariedade de todos e pedem que continuem orando pelo Joaquim, para que ocorra tudo bem durante sua recuperação.      fonte:blogdorodrigoferraz
Continue Reading
You may also like...

Deixe seu comentário

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

More in Bahia

To Top
seja bem vindo no watzap do portal condeuba