Connect with us

Portal Condeúba

Bahia

Prefeitura investe no ‘abaulamento’ de estradas rurais

De acordo com o dicionário Michaelis, o termo “abaular” significa “dar ou apresentar forma convexa semelhante à da tampa de um baú”. As pessoas do campo, em geral, utilizam outra variação do termo, pronunciando “baluar”. De uma forma ou de outra, esse é o nome da técnica que a Prefeitura começa a utilizar na recuperação das estradas que cortam a zona rural de Vitória da Conquista.

O procedimento é comum em rodovias e vias urbanas pavimentadas. Trata-se de nivelar a estrada de forma que a parte central fique ligeiramente mais elevada que as laterais. Isso evita que a água das chuvas se acumule no meio da via, o que facilita o escoamento. Para adaptar essa lógica às estradas rurais, a Prefeitura se vale de motoniveladoras (as populares máquinas do tipo “patrol”).

O serviço costuma ser feito em três etapas. Na primeira, a máquina se posiciona em uma das laterais da estrada e, enquanto a percorre, vai “raspando” o solo com sua lâmina. A posição da lâmina (suspensa em diagonal e um pouco direcionada para a frente) faz com que a terra retirada na “raspagem” seja jogada para o centro da via.

Na segunda etapa, a motoniveladora repete o mesmo procedimento, só que em sentido contrário. A terceira fase consiste em passar mais uma vez pela estrada – desta vez, pelo centro, compactando ali toda a terra que foi extraída das laterais. Assim, o leito toma a forma convexa – ou seja, “abaulada”.

A duração do serviço varia. Em estradas mais largas, pode ser feito em até cinco etapas. O que não varia, segundo o secretário municipal de Agricultura, Paulo César Oliveira, é a qualidade do resultado. “Isso acarreta na maior durabilidade do pavimento, com a eliminação natural, por gravidade, das águas de chuva”, explica Oliveira.

O método tradicional de recuperação de estradas consistia apenas no “patrolamento”, que oferecia maiores riscos de acúmulo de água e de formação das famosas poças no meio das vias. “Havia um rebaixamento do leito da estrada em relação ao terreno natural”, lembra o secretário.

Saídas de água – Outro recurso a que a Prefeitura vem recorrendo, no serviço de recuperação de estradas, é a implantação de drenagens laterais, também conhecidas como saídas de água. São pequenas valetas, feitas nas laterais das vias recuperadas. Com isso, o objetivo é interromper o curso das águas das chuvas e evitar que elas se acumulem e causem a erosão.

“As saídas de água também favorecem a conservação da estrada. Porque, quando você não tira o curso da água na hora da chuva e da enxurrada, não há alternativa: ele vai provocar erosão em algum lugar. Então, a gente vem tomando essa providência para que as estradas tenham uma qualidade melhor”, informa o secretário.

Segundo Oliveira, o objetivo é estender a técnica do “abaulamento”, de forma gradual, aos mais de 2.700 quilômetros de estradas do interior do município. “A cada vez que recuperamos uma estrada, a gente tenta levantar um pouquinho. Dez, quinze centímetros no centro. E, da próxima vez, a gente faz a mesma operação, para que ela vá tomando um formato abaulado. Aí, sim, a estrada vai ter uma durabilidade maior”, afirma.

Continue Reading
You may also like...

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Bahia

To Top