Connect with us

portal Condeúba

Cultura

Como é difícil se chamar Ideilce

Recebemos uma história criada por Valdir Fachini sobre a esposa dele Ideilce, ela é baiana, especificamente do Paiol, distrito de Jacaraci/Ba, mas, no texto Ele cita como se fosse Distrito de Caculé. Valdir tem 63 anos e mora atualmente em Campinas/SP com sua bela esposa Ideilce. Nós da Folha de Condeúba publicamos abaixo mais uma curiosidade da nossa região.

Como é difícil se chamar Ideilce

O meu nome é esse aí, do título, sem tirar nem por. É difícil de acreditar, mas é isso aí. Então você pergunta: Como pode alguém se chamar assim? É fácil, é só ter um par de pais doidos como eu tive.

Também não sei onde eles acharam isso, se era nome de alguma planta da região, ou de algum calango, ou se foi o sol abrasador do sertão baiano que queimou os miolos deles.

Mas, enfim…! Esse é o meu nome e confesso que não me envergonho dele. Eu poderia mudar pra Virgulina (olha só, nome de herói!), Severina (mais vida do que morte), ou Bastiana, ói que nome lindo! Mas eu prefiro esse que tenho.

Ah! Eu ia me esquecendo, eu sou mulher, é meio difícil de identificar porque esse nome pode ser masculino ou feminino, embora muita gente ache que não serve nem pra um e nem pra outro.

Ideilce

Meus pais moravam no sítio e nunca registravam o filho logo que nascia. Eles esperavam juntar depois fazia um pacote só, então eles não lembravam a data e punham qualquer uma. Eu, por exemplo, faço aniversário em dois dias do ano, mas até hoje não sei qual o
dia certo.

Bom! Já terminei o meu dossiê, agora vou falar da dificuldade de ter o meu nome. O problema é que ninguém acerta e nem é tão difícil assim, mesmo assim o pessoal se complica. Já me chamaram de uns trocentos nomes diferentes. Ontem mesmo ligaram no meu serviço e queriam falar com o senhor Idelco. Aí eu me estressei, senhor Idelco o escambau! Eu sou uma menina, não um trator (depois eu descobri que o nome do veículo é Iveco e não Idelco e também não é trator, é caminhão).

Já me chamaram de tantos palavrões que às vezes até esqueço minha identidade. Faço cara de brava, xingo, não respondo, mas no fundo eu até gosto, não importa se colocam mais letras ou se tiram algumas; o importante é que tentam falar o meu nome.

Já pensei até em fazer um dicionário e já pensei até como se chamaria: Dicionário Ideilcês… Acho até que seria um Best Seller! Já me vejo numa noite de autografo.

É isso aí, esse foi o nome que me deram e eu sou feliz assim, pelo menos é exclusivo. Já mandei um e-mail pra Globo pra eles darem meu nome pra uma protagonista de uma novela das nove, já pensou? Aí as mães iam querer esse nome nas suas recém-nascidas. Legal né?

Se algum dia algum jornal publicar uma história tirando sarro desse meu lindo nome, pode ter certeza que foi aquele chato do meu marido, metido a escritor, que escreveu.

Tô nem ai, eu não ligo mesmo!

Autor: Valdir Fachini

Continue Reading
You may also like...

Deixe seu comentário

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

More in Cultura

To Top
seja bem vindo no watzap do portal condeuba