Connect with us

Portal Condeúba

Caso Vitória:

Caso Vitória: Polícia afirma que menina foi morta por engano

A informação foi divulgada com base em um novo depoimento no Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). A testemunha, que teve a identidade preservada, afirmou que deve cerca de R$ 7 mil a um traficante e que tem uma irmã com as mesmas características da menina Vitória. A garota desapareceu no dia 8 de junho e foi encontrada morta uma semana depois.

Até quando o tráfico de drogas vai matar? É triste, é doloroso”, declarou a mãe da adolescente Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos, na tarde de terça-feira (3) após a conclusão da Polícia Civil .

mae-vitoria

À TV TEM, Rosana Guimarães contou que espera a punição dos culpados pelo crime e que confia na lei.  

O crime chegou a ser investigado como vingança, mas a principal hipótese era de que a vítima teria sido pega por engano pelos criminosos – o que acabou sendo confirmado com o depoimento da testemunha, nesta terça-feira.,

1530572820995505

Até o momento, três pessoas foram indiciadas por homicídio doloso por suspeita de participação no caso, que corre sob segredo de Justiça: o servente de pedreiro Júlio César Lima Ergesse e o casal Bruno Marcel de Oliveira e Mayara Borges de Abrantes, todos moradores de Mairinque.

“A gente fica aliviada em saber que responderão pelo que fizeram, mas se viram que pegaram por engano, por que não a deixaram voltar para casa? Se falasse: ‘não fale nada’, eu não falaria. Só queria minha filha aqui comigo.”

Fonte: G1

Continue Reading
You may also like...

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Direto. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Direto poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Caso Vitória:

To Top